Raulino Júnior anuncia projeto musical com estreia em julho

Hoje, nas suas redes sociais digitais, o compositor Raulino Júnior divulgou que fará um novo projeto musical, que vai estrear em julho. Sem adiantar detalhes, o artista deixou no ar do que se trata. Um dos cards trazia a seguinte mensagem: “Em julho, tem AXÉ por aqui”. Vamos aguardar. Qual é o seu palpite?

Arte feita sobre foto de Cristiane Conceição. O registro, por sinal, foi feito no dia 19 de fevereiro de 2017, quando o compositor Raulino Júnior visitou a exposição Carnaval Elétrico: Pedrinho da Rocha – 40 Carnavais, no Salvador Shopping.

SOMAR vem de SOnia Marlene Agapito Ramos, nome da mãe de Raulino. Por isso, a homenagem.

Educação, Cultura, Comunicação e Arte é o conceito de Raulino Júnior para essa nova fase da carreira como produtor de conteúdo.

Raulino Júnior compõe músicas cuja inspiração é Cazuza

Um amor de VERDADE pelo Meu menino Caju. Foto: site oficial de Cazuza

Ontem, foi aniversário do cantor e compositor Cazuza, que, se estivesse vivo, completaria 62 anos de idade. O também compositor Raulino Júnior, que é fã de Caju, compôs duas músicas para o poeta exagerado: VERDADE e Meu menino. VERDADE é um pop rock que faz um esforço para lembrar a musicalidade do Barão Vermelho, quando Cazuza estava nos vocais. A música foi feita de ontem para hoje e é totalmente inspirada no modo de ser de Cazuza. Segue a letra:

VERDADE
(Raulino Júnior)

Não vou render seu ponto de vista
Porque tenho muito mais é o que fazer
O compromisso é com a minha vida
Não com a vida que falaram pra você

Podem dizer que sou piaba
Eu sou é peixe fora d’água pra valer
Se a sua vida ‘tá no cabide
Aí o problema é todo seu, vá resolver

VERDADE!
VERDADE!
VERDADE!
É o que eu sinto vontade

Não vou ouvir o seu discurso
Porque a prática, no fundo, é massapê
Ficar, assim, nem vendo o muro
Deve ser conveniente pra você

Qual o conchavo que usou ontem?
Porque acho que hoje não vai mais valer
Alguns espinhos machucam menos
Do que aquilo que você quer esconder

VERDADE!
VERDADE!
VERDADE!
É o que eu sinto vontade

Meu menino é uma homenagem declarada a Agenor de Miranda Araujo Neto, nome de batismo de Cazuza. Fala da meninice do artista, do seu brilho, contradições, poesia e legado. A música foi composta hoje. Eis a letra:

Meu menino
(Raulino Júnior)

Vai, meu menino, voa
Segue peralta, à toa
Brinca com a noite
Debocha do dia
Respeita as tuas fantasias

Vai, meu menino, canta
Sobe no palco que a luz te encontra
Brilha e incendeia a plateia
Diz um “sim” aqui
E ali, muda de ideia

Vai, meu menino, tu és poesia
É o próprio soneto, ode, elegia
Teus versos comovem, exibem teu ser
Nada é mais expressivo
Do que ser, somente, você

Vai, meu menino, luta
Encara com verdade a tua vida adulta
Desafia o tempo, mostra a tua força
Deixa o teu legado
E, assim, nunca morra

Contato: raulinoscjunior@gmail.com.

Raulino Júnior grava “Pagode Baiano”, “Contato” e “AxéPB”, novas apostas para festivais

Raulino Júnior colocando voz em AxéPB. Foto: Adrian Estrela

O compositor Raulino Júnior voltou ao HF Studios, em Salvador, para gravar três músicas inéditas. Ontem, 1º/2, Raulino gravou Pagode Baiano (samba de roda com a cara do Recôncavo) e Contato (balada romântica com um quê de ciranda e bem bucólica). Hoje, foi a vez de colocar voz em AxéPB, um axé agalopado, com letra metalinguística, que retrata o gênero nascido na Bahia. Mais uma vez, a produção musical ficou sob responsabilidade de Adrian Estrela, da Parte A Produções, reforçando a parceria que teve início em 2018.

Adrian Estrela e Raulino Júnior: parceria que rende bons frutos musicais

O compositor, de forma irreverente, diz que gravou as músicas para lançar o seu primeiro EP. “O meu EP, cujo nome é ‘É Possível?!’, está chegando”, diverte-se. Na verdade, o intuito de Raulino é inscrever as canções nos festivais que poderão acontecer durante o ano e também enviar para os artistas que admira e têm identidade com as letras. No vídeo abaixo, você confere um trecho de AxéPB.

Essa Cidade (Raulino Júnior)

Essa cidade samba
Essa cidade vibra
Essa cidade, essa cidade
Olha que coisa mais bonita!

Essa cidade é minha
Essa cidade é sua
Essa cidade, essa cidade
Ó como fica quando nua!

Essa cidade é rima
Essa cidade é poesia
Essa cidade, essa cidade
Ó que luz que ela irradia!

Essa cidade chama
Essa cidade nos convida
Essa cidade, essa cidade
Olha o quadro que ela inspira!

Esta música foi composta no dia 29 de maio de 2017. É uma homenagem a Salvador, essa cidade tão inspiradora. Eu adoro a letra e esse “quê” de Rap (Hip-Hop) que ela tem.

Contato: raulinoscjunior@gmail.com.

Raulino Júnior divulga “Mãe”, música-homenagem feita em 2005

Foto de fevereiro de 1983, na qual Raulino aparece  nos braços de sua mãe, foi escolhida para ser a imagem oficial da música Mãe. Na ocasião, o compositor estava prestes a completar um ano de idade. Crédito: arquivo pessoal

Composta em 28 de maio de 2005, quando o compositor Raulino Júnior tinha 23 anos, a música Mãe ganhou gravação oficial em julho deste ano e, hoje, está sendo divulgada com direito a lyric video. A canção, como o próprio nome já revela, é uma homenagem de Raulino à sua mãe, Sonia Marlene Agapito Ramos, que desencarnou em 14 de setembro de 1989. De acordo com o compositor, a música é uma forma de mostrar como a ausência da mãe está presente na vida dele, na da irmã, na do pai e na de toda a família. “É uma exposição da minha intimidade e da intimidade da minha família. Pensei muito antes de decidir implementar todo o projeto, que comecei a organizar em maio, porque não queria fazer só por fazer nem me expor de forma desnecessária e irresponsável, tampouco minha mãe, minha família. Tenho muito cuidado com isso. Tinha que ter um sentido pra mim. É um tributo. É como se eu dissesse: ‘Sinto a sua falta, sempre vou sentir, mas sigo caminhando'”, confidencia.  

O menino falando pelo homem; o filho ninando a Mãe

Raulino acredita que, embora estivesse com 23 anos quando compôs a música, voltou no tempo ao escrever os versos de Mãe. “A maturidade me fez entender que, ao compor, fui reportado para 1989, voltando a ser aquela criança de sete anos. Isso fica evidente na letra, que é cheia de repetições, de ingenuidade e de imagens do universo infantil. Nos versos A vida é recreio/Estando ‘com ti’, há uma licença poética colocada inconscientemente. Pela gramática normativa, a expressão ‘com ti’ não é aceita. O uso correto seria ‘contigo’, mas preferi manter a rima. O refrão traz os versos Entre o Céu e Terra estarei/Sempre pensando em ti, que evidencia outra ação inconsciente: o uso de ‘Céu’, com inicial maiúscula, representando o ‘Paraíso’, a ‘morada dos justos e bem-aventurados’. Além de uma ingênua confusão, como se o céu estivesse fora da Terra. O eu lírico da música é o menino que fui; e que, muitas vezes, ainda sou”.

Cards produzidos para divulgar Mãe nas redes sociais digitais de Raulino traziam alguns versos da canção.

Ao enviar a guia da música para Adrian Estrela, da Parte A Produções, Raulino pediu que o produtor e diretor musical trouxesse o universo infantil e lúdico para o arranjo. O mesmo pedido foi feito para Vitor Moreira, responsável pela produção do lyric video.  “A infância grita na música o tempo todo. São várias imagens que remetem a isso. Tem tudo a ver com a obra e com a motivação para fazê-la”, conclui o compositor. 

Assista ao vídeo lírico oficial da música Mãe. Ouça baixinho. Cante baixinho.

Em setembro, o amor começa com M

Raulino Júnior durante a gravação de música que será divulgada em setembro. Imagem: Reprodução de vídeo

Na manhã de ontem, 13 de julho, o compositor Raulino Júnior retornou ao HF Studios, em Salvador, para gravar mais uma de suas músicas. Dessa vez, uma canção especial, que significa muito para ele. A música será divulgada, na íntegra, em setembro. A escolha do mês não foi por caso. Tem grande relação com o conteúdo abordado na obra.

Raulino Júnior e Adrian Estrela, da Parte A Produções.

Mais uma vez, a produção musical ficou sob responsabilidade de Adrian Estrela, da Parte A Produções. Essa será a terceira parceria de Raulino com a Parte A. Na produtora, ele gravou Tropical e O Som do Olodum (Tugurugudu), em maio do ano passado.

Em setembro, o amor terá três letras e começará com M.

Raulino Júnior lança música em homenagem a amigo

Cards criados para divulgar a música Vi Vi, nas redes sociais digitais de Raulino. Imagem: montagem feita por Raulino Júnior

O  compositor Raulino Júnior acabou de lançar a música Vi Vi, uma homenagem ao seu amigo Vitor Moreira, que faz aniversário hoje, 15 de junho.  Na letra, ele traça um perfil de Vitor, que fica evidente em versos como “Vou na calmaria, sigo firme, sou assim/Vãs filosofias não farão parte de mim”. “É o meu olhar em relação a Vitor. Como eu o vejo. Vitor tem uma serenidade incrível, que contrasta muito comigo, que sou superagitado. Além de ser um cara muito sábio, que saca de muitas coisas. É um reggae rap, assim que eu sinto a música”, afirma Raulino.

Card em comemoração ao aniversário de Vitor Moreira. Arte: Raulino Júnior

“Vi” é uma forma carinhosa de Raulino se referir ao amigo. A seguir, você confere a letra e o áudio da canção. Divirta-se e cante junto!

Vi Vi
(Raulino Júnior)

O que foi que eu vi
Vivi
Eu vi Vi andar por aí

O que foi que eu vi
Vi Vi
Eu vivi a andar por aí

O que lhe parece
É o que não se parece ser
Viva nessa vida
O que é vida em você

Todo sentimento 
Você pode transformar
Tire lá de dentro
Tudo que for pra somar

Vou na calmaria, 
sigo firme, sou assim
Vãs filosofias
Não farão parte de mim

Tudo que eu vejo, 
vejo mais de um lado só
A pluralidade, para mim,
é bem melhor

O que foi que eu vi
Vi Vi
Eu vivi a andar por aí

O que foi que eu vi
Vivi
Eu vi Vi andar por aí

Raulino Júnior participa de evento internacional de música e cultura digital

Na tarde de ontem, o compositor Raulino Júnior apresentou o artigo Direitos autorais na música: porque é obrigatório ouvir direito, dentro da programação do Digitalia, festival internacional de música e cultura digital.

Raulino Júnior durante a apresentação no Digitalia 2019. Foto: Cristiane Conceição

Com o tema Da Tropicália à Digitalia: a cultura no Brasil disruptivo, o evento, que começou no dia 30 de janeiro, segue até domingo, promovendo oficinas, mesas redondas e apresentações artísticas em Salvador.

Imagem: SecultBA

Na apresentação, o compositor fez uma breve análise sobre a realidade dos direitos
autorais na área de música no Brasil. Nesse sentido, traçou um histórico sobre o
assunto e falou de algumas situações em que o direito autoral deveria ser pago e não é.

Imagem: SecultBA

A base do estudo foram as legislações acerca da temática presentes no território brasileiro, especialmente a Lei n.º 9.610/98 (que regula os direitos autorais) e a Lei n.º 12.853/13 (que dispõe sobre a gestão coletiva de direitos autorais). Além de falar de alguns autores que são referência no assunto, Raulino problematizou o pagamento dos direitos autorais com o advento da internet.

Raulino Júnior divulga áudio oficial da música “O Som do Olodum”

Hoje, com a chegada do Verão, o compositor Raulino Júnior decidiu publicar o áudio, na íntegra, da música O Som do Olodum (Tugurugudu). A canção, gravada em maio deste ano, foi produzida por Adrian Estrela, da Parte A Produções.

Raulino Júnior ao som do Olodum

O samba-reggae foi composto depois que Raulino acompanhou um arrastão do Olodum, no Pelourinho, em 2011, e é uma homenagem ao bloco afro. Ouça e diga o que achou! 

On-line (Raulino Júnior)

Ando
Nos centros da cidade a te procurar
No centro da cidade, quero te encontrar
Cadê você?
Onde é que está?

Fico
Conectado o tempo todo no meu celular
Na esperança de que uma resposta vai chegar
Não faz assim
Vai machucar

Se visualizar,
Não deixa pra lá, não
Estou aqui sem impor nenhuma condição
Quero você
Com intenção

O meu coração está pedindo um “sim”
Me manda um “oi”
Me mostra que está a fim
Te quero assim
Sem perfeição

Esta música foi composta hoje, 10 de setembro de 2018. Quis falar sobre os relacionamentos de hoje em dia, que são, muitas vezes, mediados pelas tecnologias da informação e da comunicação (TICs). É uma balada envolvente, de letra simples.

Contato: raulinoscjunior@gmail.com.